sexta-feira, 3 de junho de 2011

Peixe Guppy - Tímidos e Coloridos

Eu particularmente adoro esse peixinho. Quando criança, sempre tive aquários e nunca podia faltar o peixinho Guppy. São realmente bonitos e ver a fêmea "parindo" era, pra mim, um milagre. E por conta disso, foi uma surpresa o dia que meu professor de biologia, na escola, disse que peixes colocavam ovos. 
Mas como então, se as minhas fêmeas literalmente pariam? rs...
Ágeis e multicoloridos, os lebistes ou guppy são criados em aquáriosdesde meados de 1900. Entretanto, sua utilização não se limita apenas a esta. Devido ao seu hábito voraz de se alimentar com larvas de insetos, os Lebistes são utilizados em países do Oriente como ferramenta de controle biológico. Já foram utilizados também no Brasil, na década de 30, para combater os transmissores da Malária e da Febre Amarela. São também utilizados em laboratórios, nos experimentos ecotoxicológicos, genéticos, comportamentais e reprodutivos. Não só são muito bonitos de se observar, mas também bastante uteis a humanidade. Existe até uma associação de criadores de guppy.
Origem do Guppy – Lebiste
O lebiste ou guppy é originário da América do Sul e Central, mais precisamente de estuários localizados em Barbados, Trinidad Tobago, Venezuela, Guianas e porção norte do Brasil. Conhecidos também por Peixe Arco-íris, Barrigudinho, Bandeirinha e Sarapintado encontram-se hoje espalhados por todo o mundo. Antes de ser classificado cientificamente como Poecilia reticulata, o Lebiste já foi conhecido por Girardinus guppyi e Lebistes reticulatus. O nomeGuppy é na verdade o sobrenome de Robert J.L Guppy que foi homenageado pelo naturalista inglês Guenther, que recebeu de Robert os primeiros peixes coletados na América Central no ano de 1860. Já o nome popular Lebiste deriva do gênero Lebistes ao qual pertencia. Pertence a família dos Poecilidae (Poecilídeos) da qual também fazem parte Molinésias, Platys e Espadas.
É um peixe de fácil manutenção sendo recomendado para todos os tamanhos de aquáriosdesde que obedecidas suas necessidades básicas como pH e temperatura. É interessante observar o número de fêmeas que deve ser maior que o de machos, na razão de 3:1.

Reprodução do Lebiste
As fêmeas desta espécie não depositam ovos, mas sim dão à luz filhotes prontos. São classificados então como peixes ovovivíparos.
Os machos diferenciam-se das fêmeas pela cauda, que é bem maior, pela coloração mais intensa, e pela presença do gonopódio, uma estrutura semelhante a um pequeno tubo localizada na região ventral. Esta estrutura possibilita a transferência dos gametas masculinos para dentro da fêmea, possibilitando a fecundação interna. Já as fêmeas apresentam uma mancha na parte ventral, próxima a cauda, que se torna mais escura quando os ovos começam a se desenvolver. Quando os filhotes estão a ponto de nascer esta mancha torna-se mais “baixa”, a fêmea apresenta-se muito barriguda e com a respiração ofegante.
Para reproduzi-los é aconselhável 3 a 5 fêmeas para cada macho. Esta espécie, assim como acontece com outros peixes ovovivíparos, não apresenta cuidado parental, ou seja, os pais não cuidam dos filhotes após o nascimento. Além disso a permanência dos pequenos alevinos junto com exemplares adultos, inclusive a própria mãe, pode ser desastrosa, já que tendem a ser devorados. Em função disso as fêmeas grávidas podem ser postas em criadeiras individuais onde, logo que nascem, os filhotes são separados da mãe. Recomenda-se um aquário com cerca de 15 a 20 litros de água e que contenha plantas naturais como Elodea,Cabomba, Sagitária e a Samambaia d’água, para que os alevinos, ao passarem por entre as frestas da criadeira, possam se refugiar. O período de gestação varia de 20 a 30 dias. Os filhotes devem ser alimentados com ração para alevinos durante o primeiro mês de vida.
Aos dois meses de idade já é possível a diferenciação de machos e fêmeas, que estão prontos para a reprodução. Nesta fase já podem ser alimentados com outras rações de preferência em flocos. Para um desenvolvimento mais adequado, é recomendado permitir a reprodução somente a partir dos quatro meses de idade.
Uma característica bastante interessante é a capacidade que as fêmeas têm de armazenar o esperma dos machos por um longo período, podendo ter mais de 3 gestações seguidas sem a presença do macho para nova fecundação. Esta característica é muito importante quando se pretende fazer cruzamentos específicos entre machos e fêmeas escolhidos previamente. Para obter o resultado esperado neste cruzamento, é necessário primeiramente “limpar” a fêmea, ou seja, mantê-la sem contatos com machos durante um período de 6 meses, para que ela acabe com um possível estoque de esperma de outro macho.
Para o sucesso da reprodução do guppy devem ser observadas boas condições ambientais, como temperatura em torno de 28 ºC e pH próximo a 7,2.
Com os devidos cuidados e um pouco de atenção diária o lebiste certamente deixará seu aquário mais alegre e muito colorido.

13 comentários:

  1. OI,sou uma menina e tenho 13 anos,eu gostei muito dessas fotos,são muito fofos.Inclusive eu tenho quatro guppes,são duas fêmeas e dois machos es as fêmeas ja estão prenhas.

    ResponderExcluir
  2. meus guppy machos tem polca cor como faço para eles ficarem mas coloridos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pinta ele kkkkkkkkkkkk'

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. bom vou te responder sou outra pessoa, você compra ração em flocos que ajuda a dar mais cor aos seus peixes para qualquer tipo de peixe que precise de cor ela e mais recomendada. boa sorte com seus peixinhos.

      Excluir
  3. pegue seu guppy e enfie no seu toba seu baitola safado... vai ciar um cachorro porra. vira homem porra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cú é dele ou seu? Cuida do seu , Zé ruela

      Excluir
    2. O cú é dele ou seu? Cuida do seu , Zé ruela

      Excluir
  4. eu gosto do tucunaré, cuiú cuiú, pacú, curimatã

    ResponderExcluir
  5. eu tenho dois guppys um é femea e o outro macho eles ja sao bem coloridos!!! é muito fofo!!!

    ResponderExcluir
  6. Guppy eu acho muito bonito!!!!

    ResponderExcluir
  7. Leandro Santana De Oliveira20 de junho de 2016 22:49

    Eu acho guppyes em um lago aqui perto de casa,tem vários lá no lago e eu queria saber com tornar os guppyes maiores em tamanho

    ResponderExcluir
  8. Eu achei muito proveitoso tudo que foi falado aqui sobre o Guppy,e me ajudou muito. Agora,infelizmente algumas pessoas ao invez de fazer comentários produtivos ,eles preferem fazer papel de palhaço,e acabam faltando com respeito n só com o dono do blog,mas tbm com todos os leitores que procuram adquirir novãs informações! Falar oq de pessoas assim ne.

    ResponderExcluir